Google+ Followers

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Old Neil...

Nunca é demais. Ainda mais, uma bela versão como essa...


Disco: Live at the Cellar Door
Artista: Neil Young
Ano: 2013

terça-feira, 14 de julho de 2015

Um pouco de política...


  O ex-presidente e senador Fernando Collor, no Senado. © Fornecido por Estadão

Quem deve satisfações a justiça é este senhor, que há mais de 30 anos vem parasitando o dinheiro público e usando-o à seu bel prazer, inclusive em orgias e em rituais de magia negra na ex-residência oficial do Presidente, a famigerada Casa da Dinda. E estes são apenas ALGUNS escândalos, que vieram a tona. Imaginem, senhores, o que mais não se fez por debaixo dos panos. O mais impressionante, é que mesmo depois de tudo isso, este mesmo senhor ainda não pagou por nenhum de seus crimes recentes e passados, e consegue eleger-se com o apoio de uma massa acéfala e alienada, em conchavos com grandes empresários e representantes do agronegócio, que também estão cagando pra qualquer tipo de orientação partidária ou politica pública, e só visam facilidades e troca de favores para aumentar seus lucros... e assim seguimos, longe do ideal tão sonhado por Platão, na nossa pequena república de bananas, onde o tempo passa mas nada muda... ou aliás, muda sim, muda a casca, muda a pele, pode ate mudar a forma, mas a essência continua a mesma.  

O gigante acordou? Sim, é claro... mas virou pro lado e continuou dormindo...

sábado, 13 de junho de 2015

Como incendiar uma guitarra...

Sem precisar de efeitos pirotécnicos.


                        Woodstock (1969) - Ten Years After: I'm Going Home (Live)

terça-feira, 9 de junho de 2015

The Breeze



Eric Clapton & Friends - Someday (Ft. Mark Knopfler)
Disco: The Breeze - An Appreciation of JJ Cale
Ano: 2014

sexta-feira, 22 de maio de 2015

DISCOS PRA SE OUVIR DO INICIO AO FIM

Alô gurizada medonha (Bebeco Garcia, saca?), nestes tempos modernos de internet, em que fica fácil (Obrigado Senhor) baixar musicas de tudo quanto é tipo e jeito, das mais obscuras as mais tocadas, a nova e exclusiva série de O Ermitão Pessimista, ''Discos Pra se Ouvir do Inicio ao Fim'', que chamaremos daqui em diante singela e compactamente, de Discos Pra se Ouvir (bem melhor né? Porra de nome comprido e chato de escrever com maiúsculas em todo inicio de palavra, alem de ser ridículo mas é que não tava muito inspirado quando escolhi o nome).

Enfim, a Discos Pra se Ouvir tenta trazer de volta um velho costume que anda meio sumido ultimamente e vem sendo negligenciado pelos amantes desta que é uma das artes mais antigas do mundo (ou você por acaso acha que os homens da caverna jogavam GTA V?): o imenso prazer de ouvir um bom disco/mídia virtual em suas vitrolas/tocadores de mídias virtuais em diversos formatos, do inicio ao fim, NA ordem em que ele foi gravado pelo autor de tamanha façanha

Isso mesmo! Experimente viajar nessa incrível experiência sonora que pode ser curtir esses clássicos da primeira a ultima música, dissecando cada acorde, prestando atenção em cada uma das letras, assim como você fazia quando só tinha aquela fitinha do Ramones. Vamos lá... dê um tempo pras estripulias do acaso ocasionadas pelo travesso sapeca botão ''random'' do seu windows media player! 

Dai depois, se você quiser, também pode ouvir inteirinho aquele disco recomendadíssimo de rock/cigano/do oriente médio ou aquele outro, daquela banda nova de trash/death/devil/fucking metal hardcore mob da Letônia. 

Enquanto preparamos o material, fique com um gostinho do que esta por vir com este mestre do groove, e sua guitarra precisa que faz nossa mente flutuar a 150 km/h pelo Deserto de Baja.


Disco: Really
Artista: J. J. Cale
Ano: 1973


sexta-feira, 15 de maio de 2015

The King is Gone


Era um dos poucos que restava... do tempo em que os Deuses ainda caminhavam sobre a Terra. Obrigado pelos serviços prestados a boa musica.

R.I.P. B.B. King (16 de setembro de 1925/14 de maio de 2015)

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Head and Heart...



Vale a pena conferir também a versão dessa música feita pelo America, no álbum ''Homecoming'', de 1972. Uma bela homenagem a este que, segundo a opinião de gente como Eric Clapton, ''estava tão a frente de tudo, que era quase difícil de acreditar no que os olhos estavam vendo.''
John Martyn. Um gênio que nunca teve o reconhecimento que merece, e, ao arrebentar as fronteiras entre o folk, o jazz, o rock e o blues, influenciou gente ate mais ''moderninha'' como Jake Bugg (é assim que se escreve??).


''Não vai mais cortar o cabelo meu filho?''- Mãe de um dos integrantes do America, em plena década de 70.

É... acho que eles ficam melhor de perfil.

quinta-feira, 30 de abril de 2015

''KTAADN''

A natureza ali era algo selvagem e terrível, embora belo. Eu olhava maravilhado para o solo por onde passava, para ver o que os Poderes tinham feito ali, a forma, o feitio e o material de sua obra. Essa era a Terra da qual tínhamos ouvido falar, feita do Caos e da Noite Antiga. Ali não havia jardim humano, mas o globo indomado. Não era prado, nem pastagem, nem campina, nem floresta, nem planície, nem terra fértil, nem deserto. Era a superfície fresca e natural do Planeta Terra, como foi feita para sempre - para ser a moradia do homem, dizemos -, assim a Natureza a fez e o homem pode usa-la, se conseguir. O homem não deve ser associado a ela. Era a Matéria, vasta, terrível - não sua Mãe Terra de que ouvimos falar, não para que ele a palmilhe, ou para ser enterrado nela - não, seria familiar demais até deixar seus ossos jazer ali -, o lar, isso, da Necessidade e do Destino. Sentia-se claramente a presença de uma força não inclinada a ser boa para o homem. Era um lugar de paganismo e ritos supersticiosos, para ser habitado por homens mais próximos das rochas e dos animais selvagens do que nós. [...] O que é ser admitido num museu, ver uma miríade de coisas particulares, comparado com ser apresentado à superfície de alguma estrela, a alguma matéria dura em sua casa! Eu admiro meu corpo, essa matéria à qual estou preso tornou-se tão estranha para mim. Não temo espíritos, fantasmas, dos quais sou um - isso meu corpo pode -, mas temo corpos, tenho medo de encontra-los. O que é esse Titã que me possui? Conversa de mistérios! Pense em nossa vida na natureza - diariamente apresentados à matéria, entrando em contato com ela - rochas, árvores, vento em nossas faces! A terra sólida! O mundo verdadeiro! O senso comum! Contato! Contato! Quem somos nos? Onde estamos? HENRY DAVID THOREAU

Ermitão:

''Um eremita ou ermitão é um indivíduo que, usualmente por penitênciareligiosidademisantropia ou simples amor à natureza, vive em lugar deserto, isolado. O local de sua morada é designado eremitério''. Fonte: Wikipédia.




''Ei, eu também sou ermitão! E nem é por opção própria...'' - Caranguejo eremita, pequeno crustáceo encontrado em todo o litoral brasileiro.